Recuperação de Dados - Recuperar Ficheiros
Ondata International

Glossário de recuperação de dados

A

ACTUALIZAR
Os fabricantes de software oferecem aos usuários dos programas umas aplicações que convertem a sua versão antiga na actual. A estes programas dá-se o nome de actualizações e estão disponíveis na Internet.
ARMAZENAMENTO
Sobre deste termo genérico agrupam-se dispositivos e software dedicados ao arquivo de dados e informação. Existem diferentes tipos de dispositivos de armazenamento: discos, disquetes, discos ópticos, cassetes, cartuchos,etc. Cada um deles têm vantagens e inconvenientes, e estão mais ou menos adequados para diferentes utilizações. No caso da microinformática, os dispositivos de armazenamento mais habituais são os discos rígidos ou fixos, as disquetes ou discos flexíveis e os CD-ROM, não permitem armazenar informação desde um PC standard, e facilitar o acesso a mais de 600MB de dados fácilmente.
ANTI-VÍRUS
O programa que se encarrega de analizar o conteúdo dos ficheiros e, no seu caso de detectar um vírus no seu interior, para proceder à sua desinfecção. Também realizam buscas heurísticas, isto é, buscam funções que possam ser nocivas para o seu computador, sem que sejam vírus reconhecidos.
ARQUIVAR
Gravar num suporte magnético, em disco rígido ou em disquetes, ficheiros ou aplicações determinadas.
ARQUIVO
Dados estructurados que podem recuperar-se fácilmente e usar-se numa aplicação determinada. Utiliza-se como sinónimo de ficheiro. O arquivo não contem elementos e a aplicação que cria, só os dados ou informação com os que trabalha no usuário. Todos os dados no disco armazenam-se como um arquivo, com um nome de arquivo dado por si é único dentro do directório em que reside.Para o computador, um arquivo não é mais que uma série de bytes. A estructura de arquivo é conhecida para o software com que trabalha.

B

BACKUP
Cópia de segurança dos ficheiros ou aplicações disponíveis num suporte magnético (geralmente disquetes ou CD’S), com o fim de poder recuperar a informação e as aplicações no caso de avaria no disco rígido, apagar acidentalmente ou um acidente imprevisto. É conveniente realizar cópias de segurança em intervalos temporários ou fixos, em função do trabalho e da importância dos dados efctuados.
BAD SECTOR
Sector danificado. Segmento de armazenamento no disco que não pode ser lido nem gravado, devido a um problema físico no disco. Os sectores danificados nos discos rígidos são marcados pelo sistema operativo e logo ignorados.

C

CASSETES (TAPE)
Dispositivo de armazenamento baseado numa bobina de cinta magnética que requer de um leitor/reprodutor especial. Esta tecnología tende a desaparecer pelo aparecerecimento de outros dispositivos de armazenamento magnéticos mais fiáveis, robustos e baratos, que não requerem intervenção humana para a sua utilização.
CD-R
Abreviatura de CD-Recordable (em português significa CD-Gravável uma vez). Estes CD’s podem ser de cor dourado, verde ou azul e pode ir gravando em várias sessões, mas não se pode apagar o seu conteúdo nem modificá-lo.
CD-RW
CD Re-Escribible. Ao contrário do que ocorre com os CD-R, os CD-RW pode apagar e gravar de novo.
COMPRESSÃO
Sistema que consiste na redução do tamanho de um ficheiro comprimindo-o com a ajuda de programas como o Winzip ou o ARJ.

D

DELETAR
Barbarismo procedente da palavra inglesa delete, que significa apagar.Alguns usuários utilizam para descrever a acção de apagar ficheiros do disco rígido do computador.
DIRECTÓRIO
Conjunto de ficheiros agrupados no mesmo nome, o que facilita a sua utilização e administração.
DISCO CORRUPTO (CORRUPT DATA)
Refere-se aos dados que foram danificados por qualquer causa.
DISCO RÍGIDO
Onde se guardam programas e dados. O básico é o seu tamanho, já que os ficheiros, como imagens, sons e vídeos, “devoram” espaço no disco. O seu tamanho mede-se em Gigabytes (Gb). Hoje o habitual é ter um disco de 4 ou mais “gigas”.
DOWNLOAD
DESCARREGAR
Nome que recebe o processo de transferência de arquivos desde um computador remoto para o computador do usuário.
DRIVERS
A maioria dos periféricos que se conectam a um computador incluiem uns programas especiais chamados drivers, para que o computador “saiba” como comunicar com o novo periférico.

E

EXTENSÃO DO FICHEIRO
É um conjunto de três letras, símbolos ou números que se colocam por detrás do nome de um ficheiro, separado por um ponto. Identificam cada arquivo associando-o ao programa que o criou. Desta maneira ao fazer double clic sobre o ícone que representa o ficheiro, o sistema executará a aplicação que é capaz de abrir e modificar. Alguns exemplos de extensões são: “.doc”, “.txt”, etc.

F

FAT
File Allocation Table. Um arquivo situado no disco rígido que actúa como índice do mesmo. Contem a referência de cada um dos cem ou mil arquivos armazenados aí. Se se danifica pode perder-se parte (geralmente tudo) do conteúdo do disco.
FDISK
É uma utilidade de DOS e Windows que prepara o disco rígido para formatar, criando uma divisão primária no disco.
FICHEIRO
Todos os dados que se armazenam no seu computador denominam-se ficheiros. O computador pode guardar textos, imagens, peças musicais, sons e muito mais. Segundo o seu conteúdo, armazenam-se com distintos formatos que são reconhecidos pelas suas extensões, quer dizer, as letras que aparecem atrás do ponto.
FICHEIRO COMPRIMIDO
Quando um ou vários ficheiros têm um tamanho muito elevado, complica-se bastante o trabalho de mandá-los por correio electrónico ou guardá-los em disquetes. Para isso, existe a opção de criar um novo ficheiro com uma aplicação capaz de reduzir o tamanho.
FILE
Término em inglês para referir-se ao ficheiro. Muitas vezes aparece em documentação técnica ou nos programas que não estão completamente traduzidos.
FORMATAR
Acção de dar formato a um disco ou outro dispositivo como cassetes, etc..., com o fim de prepará-lo para que possa gravar os dados nele próprio. Ao formatar um disco apagam-se todos os dados existentes nesse momento. Normalmente, os discos que não tenham sido utilizados, nunca necessitam ser formatados, em função da sua capacidade antes de poder gravar informação neles.
FTP
File Transfer Protocol. O método mais corrente para enviar arquivos por rede entre dois computadores.

G

GIF
É um formato de arquivo gráfico, quer dizer, que serve para armazenar imagens como arquivos no computador. É um dos formatos mais usados devido a que se podem incluir nas páginas web de Internet.

H

HPFS
Corresponde à abreviatura de High Perfomance File System, trata-se de um sistema de dados criado especialmente pela IBM OS/2 para melhorar as limitações do sistema FAT do arquivo.

I

IDE
Integrated Device Electronic, também conhecido como interface de bus AT foi a primeira vez que se utilizou para discos rígidos en microcomputadores e têm capacidade para 2 unidades de armazenamento, com um máximo, de discos rígidos, de 528 megas.

M

MAGNETO-ÓPTICO (MO)
Disco de armazenamento que utiliza uma combinação de tecnologías laser e magnética. A gravação da informação realiza-se mediante campos magnéticos, mas ajudados por um flash de laser que aumenta a precisão. Os discos magneto-ópticos são de grande utilidade quando se tem que transportar uma grande quantidade de informação de um PC para outro.
MBR
É a abreviatura de Master Boot Record, um pequeno programa que se executa quando o computador inicia. Normalmente, o MBR encontra-se no primeiro sector de disco rígido.
MIGRAÇÃO
Transladação de uma aplicação de um computador para outro em condições de compatibilidade. Migrar é também elevar uma versão de um produto software para outra de mais alto nível, ou o movimento de uma arquitectura para outra, por exemplo, de um sistema centralizado para outro com uma estructura baseada no modelo cliente/servidor.

O

ONLINE
Um computador está online quando a conexão com outro computador por vía telefónica ou através de rede local permite o intercâmbio de dados e o uso de aplicações compartidas

P

PARTIÇÃO
Operação mediante a qual se prepara o disco rígido de forma a que posteriormente possa ser utilizado pelo sistema operativo. A eliminação de uma partição do disco rígido supõe a perda total dos dados que contem.

R

RECUPERAÇÃO DE DADOS
Data recovery. É um processo levado a cabo para recuperar dados perdidos. Existem produtos de software que podem ajudar a recuperar dados danificados ou perdidos. Mas nem sempre os softwares podem resolver este problema, por isso é que existem empresas especializadas na recuperação de dados.
RESTORE
É um usuário gráfico que se utiliza para restaurar meios para colocar uma janela ao seu tamanho original.

S

SCANDISK
Trata-se de uma utilidade de DOS e WINDOWS que procura diferentes tipos de erros no disco rígido e é capaz de corrigir alguns deles.Entre outras coisas o Scandisk verifica as fontes do disco para defeitos e procura também os grupos perdidos que se criam às vezes quando um programa “aborta”.
SCSI
Muito utilizado que corresponde a Small Computer System Interface. Trata-se de um interface de hardware para a instalação no computador de periféricos como scanners, modems, discos rígidos, que requerem uma transmissão de dados rápida e contínua.
SHAREWARE
Versões de software que podem ser disfrutadas gratuitamente durante um período de prova, a partir da qual o usuário deve decidir se adquire desembolsando o dinheiro correspondente. Normalmente, estas versões não são completas e ajudam a que nos habituemos às principais funções do programa.
SOFTWARE
Trata-se dos dados ou instrucções do computador. Qualquer coisa que se possa armazenar electrónicamente é software. Os dispositivos de armazenamento e os outros dispositivos são reconhecidos pelo hardware.

T

TAR
É a abreviatura de Tape Archive, é uma utilidade de UNIX que combina um grupo de arquivos num só. A ordem do TAR não comprime os arquivos.
TRAVAN
Uma tecnología de cassetes desenvolvida pela Corporación 3M, que tem em conta as mais altas densidades de dados.

U

UNIDADE
Denominação que recebem os disco rígidos, as Flopys, os leitores de cd-rom e DVD, e em geral, todos os pontos de armazenamento de dados. A possibilidade de incorporar vários discos rígidos no mesmo computador ocasiona que os programas, ao instala-los, ofereçam a opção de eleger a unidade de disco.

V

VÍRUS
SSão uns pequenos programas criados para se colocarem nos computadores sem o consentimento do usuário, e com um ranking de funções que vai desde reenviar-se por correio electrónico a todas as direcções que tenha nos seus contactos até apagar ficheiros do seu disco rígido, chegando inclusivé a ocasionar a perda definitiva dos dados.
Avenida 5 de Outubro, 10-5º piso
1050-056, Lisboa, Portugal
Orçamento
gratuito
*Campos obrigatórios
Confirme que não é um robot:
+ =
Contacto
213 580 112
Solicite
um telefonema
Confirme que não é um robot:
+ =
Serviço expresso
Recuperamos os dados
em tempo recorde